• Victor Barboza

As fintechs e a consciência negra




O Brasil ainda possui uma grande parcela da sua população "desbancarizada". De acordo com pesquisa feita pelo Instituto Locomotiva, em Janeiro de 2021, 34 milhões de brasileiros acima de 16 anos têm acesso precário a serviços financeiros. Destes números, 7 em cada 10 brasileiros sem contas nos bancos são afros.


O movimento fintech tem, em sua proposta de valor, trazer acessibilidade aos serviços financeiros para todos, por conta da digitalização. Porém, muitas vezes, além de tornar os serviços acessíveis, é importante também haver uma conscientização relacionada à educação financeira.


Confira abaixo algumas fintechs que fazem muito bem este papel de inclusão financeira, fornecer educação financeira e, ainda, ter uma proposta de valor voltada à população negra.


  • Conta Black

  • Proposta: trazer a população negra para o setor bancário e ofertar serviços financeiros, fomentando o afroempreendedorismo e tornando possível a emancipação financeira da população desbancarizada

  • O que oferecem: conta pessoal e conta empresarial

  • Banco Afro

  • Proposta: fintech de impacto social, se distanciando da visão liberal e tradicional de outros bancos “convencionais”, uma vez que não apresenta uma visão financeira que busca unicamente o lucro. Sua atuação está ligada ao bem-estar social, à representatividade e à seguridade de pessoas negras e indígenas no Brasil.

  • O que oferecem: conta pessoal e conta empresarial

  • Afro Bank

  • Proposta: propõe uma transformação em relação ao nosso papel na sociedade brasileira. Buscarmos o protagonismo em todos os âmbitos: econômico, social, empreendedor e comunitário. Queremos o desenvolvimento, para garantir um futuro mais próspero para as próximas gerações.

  • O que oferecem: conta digital


Quer conhecer mais sobre estas fintechs? Acesse nosso site e confira!

11 visualizações0 comentário