• Fincatch

CondoConta e FitBank aceleram juntos na liderança do mercado condominial




Em um país com cerca de 95 milhões de pessoas morando e trabalhando em condomínios, quase metade da população brasileira, ainda é comum ver os síndicos e gestores condominiais brasileiros enfrentando diversos desafios que vão desde gerir conflitos até a gestão financeira necessária para manter um fluxo de caixa saudável. Administrar um condomínio, local em que as pessoas moram e sonham em conquistar, requer do síndico e administradora condominial a busca por soluções seguras, que agreguem tecnologia e agilidade, mas garantam a segurança. Pensando nisso, a fintech CondoConta, banco exclusivo para condomínios, lança junto com a infratech banking FitBank a primeira estrutura bancária completa e exclusiva para condomínios e gestores condominiais. Regulamentados e oficializados pelo Banco Central (Bacen), assim como registrados no Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB) sob o número 450, fornecem segurança aos clientes, uma vez que seguem rigorosamente o regulamento e as exigências do Bacen, mantendo os recursos dos condomínios em ambiente controlado e auditado. “Quando falamos em banco digital, é comum ouvirmos a pergunta: ‘É seguro como os bancos tradicionais?”, pois como o síndico e/ou administradora gerem o dinheiro de muitas famílias, há preocupação com a segurança dos valores. Com o código 450 e sua infraestrutura bancária digital os recursos do condomínio ficam seguros”, explica Luciano Bernardi, especialista certificado no mercado financeiro e CFO da fintech. A segurança permitiu que o CondoConta alcançasse condomínios e administradoras de todos os estados do Brasil rapidamente, ao garantir segurança e solução completa para os condomínios. “O CondoConta e o Fitbank estão juntos desde a fundação, sendo o core bancário do FitBank o que chamou a atenção do histórico e reconhecido banco global americano - J.P Morgan -, que de cliente se transformou em sócio-investidor. O CondoConta é sócio dos principais fundos de investimento brasileiros e americanos. Foram essas sinergias que nos possibilitaram oferecer para os condomínios brasileiros uma melhor e segura experiência bancária, com tecnologia e sem tarifas. Prova disso são nossos números: mais de 2000% de crescimento e mais de R$ 250 milhões de reais em transações e aplicações”, reforça Luciano Bernardi. “Criamos uma nova peça no tabuleiro do mercado financeiro, que é um Core Banking as a Service. Nosso objetivo é, justamente, viabilizar a capacidade de mudanças mais disruptivas no mercado, pois enquanto cuidamos da infraestrutura tecnológica, nossos clientes podem concentrar seus esforços na experiência dos seus clientes e na transformação dos seus mercados”, afirma Mauricio Zaragoza, co-fundador do FitBank. O uso da tecnologia, o banco gratuito e a redução da burocracia geram uma economia real anual importante para os condomínios, em todo o Brasil, variando de acordo com o tamanho do condomínio. A gratuidade na emissão das cotas condominiais mensais e transações fez com que o banco CondoConta registrasse um crescimento de 3.026% em depósitos e valores movimentados só em 2021. “Todos esses dados reforçam nossa visão sobre a necessidade de digitalização e de soluções financeiras voltadas especialmente para esse mercado. É isso que buscamos. Como especialistas no setor condominial, entendemos as dores e temos os melhores aliados para chegar a criação da nova história condominial”, finaliza Luciano.

Sobre o CondoConta

Banco exclusivo para condomínios, o CondoConta leva transparência, eficiência e segurança aos gestores condominiais, melhorando a vida e a relação entre os condôminos - utilizando o código bancário 450. A fintech oferece uma conta completa, com transações e emissão de cotas condominiais mensais, além de produtos pensados especialmente para solucionar outras dores de síndicos, condôminos e administradoras de condomínios, como a prestação de contas em tempo real, automação de boletos e balanços, crédito para financiamentos, seguros e antecipação da cota condominial - denominada Receita Garantida. Atualmente presente em condomínios de todos os estados do Brasil, o CondoConta responde por mais de R$ 250 milhões de reais em transações e R$90bi em gestão de patrimônio condominial. Em 2021, a fintech recebeu três aportes, dois da Redpoint eVentures, em conjunto com a Darwin Startups (B3, J.Safra e Sinqia realizaram aportes), e outro da Igah Ventures, que tem unicórnios como Infracommerce e Único no portfólio, os aportes somam R$22,6MM. A fintech também levantou R$20 milhões com a Empírica e R$50 milhões com a Galápagos, somando R$70 milhões para emprestar aos condomínios que queiram realizar melhorias ou resolver sua inadimplência. Ao todo, são R$92,6 milhões em aportes.

Sobre o FitBank

O FitBank é uma Infratech. Ele fornece tecnologia para serviços de meios de pagamento para mais de 200 clientes, de 18 setores da economia. Hoje, o FitBank é a única plataforma 100% proprietária, nativa em nuvem e integrada ao Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB). Seus serviços impactam 100 milhões de pessoas físicas e jurídicas, entre elas clientes de fintechs, bancos, varejistas, indústrias e prestadores de serviços. Fundado por Otavio Farah, Rener Menezes e Maurício Zaragoza em 2015, hoje o FitBank tem como board members a CSU, o J.P.Morgan e o trio Marcelo Maisonnave, Pedro Englert e Eduardo Glitz, ex-XP, além dos sócios Alejandro Vollbrechthausen e João Chacha, ambos com passagens pelo Goldman Sachs.

551 visualizações0 comentário