• Victor Barboza

Conheça 9 fintechs que são grandes impulsionadoras da inclusão financeira

Atualizado: 30 de dez. de 2021




Infelizmente o Brasil ainda tem um grande número de desbancarizados. Tratam-se de pessoas que não possuem contas bancárias ou que até possuem, mas não movimentam esta por pelo menos 6 meses.


De acordo com uma pesquisa feita pelo Instituto Locomotiva, em janeiro deste ano, no Brasil cerca de 34 milhões de pessoas (11%) não possuem conta bancária (10% das pessoas) ou usam esta com pouca frequência. Ou seja, estamos falando de 21% da população que é considerada desbancarizada, número 8% menor do que janeiro de 2020.


Em movimentação financeira, esta parcela da população movimenta anualmente cerca de R$ 347 bilhões, o que corresponde a 8% da massa de renda do país.


Apesar do número de desbancarizados ainda ser grande, estamos vendo reduções progressivas a cada ano. Um dos fatores que contribuíram, e muito, para isto, foi a própria pandemia, mas especificamente, por conta do auxílio emergencial. Este acabou sendo pago por meio de um aplicativo da Caixa, o Caixa Tem, que “forçou” quem fosse recebê-lo, a criar uma conta digital.


Outro fator que tem contribuído muito para a redução do número de desbancarizados são as soluções de contas digitais, por meio das fintechs. Para você ter uma noção, de acordo com o Banco Central, em dezembro do ano passado havia 2.346 cidades brasileiras que não possuem nenhuma agência bancária, número que representa 42% das cidades do país.


Com a opção de abertura de contas digitais, sem a necessidade de agências físicas, vários moradores destas cidades começaram a ter ótimas opções para ter acesso aos principais serviços financeiros.


Um dos exemplos de conta digital que traz grande contribuição para a inclusão financeira é o Nubank. De acordo com uma pesquisa feita pela própria fintech, cerca de 3,8 milhões de pessoas foram inseridas no sistema bancário graças a eles, pois não tinham nenhuma outra conta bancária antes de se cadastrarem no “roxinho”.


Selecionamos algumas fintechs que possuem proposta de valor que caminham muito próxima à inclusão financeira. Confira abaixo:


· ElasBank


O ElasBank é um banco digital voltado para as mulheres. O banco foi fundado em 2020 com a promessa de ser inclusivo e de promover as mulheres no mundo dos negócios, a partir da inclusão financeira no mercado de investimentos. A fintech oferece um serviço personalizado do tipo 3D – Desonarado, Descomplicado e Desburocratizado. A plataforma traz também aconselhamento financeiro


· Impact Bank


O Impact Bank é uma plataforma de conta de pagamento digital que oferece serviços que não deixam ninguém para trás e adiciona valor social e ambiental para circulação de dinheiro. Os dois pilares principais da fintech são: apoiar arranjos sociais inclusivos e mobilizar capital para financiar transformações para um futuro mais justo e sustentável através do Fundo de Transformação.


· Banco Afro


O Banco Afro foi feito para todas as pessoas que nunca tiveram conta em banco e também para que quer usar melhor o dinheiro. A proposta do banco é impactar 1 milhão de pessoas, ter 70% do time formado por negros e LGBTQIA+ e disponibilizar para os clientes cartão de crédito, PIX, boletos, TED e recarga de celular.


· Conta Black


A Conta Black se propõe a resolver o desafio da desbancarização e da exclusão financeira. São oferecidos serviços bancários para pessoas físicas e negócios.


· Banco Maré


O Banco Maré nasceu em 2017, no Complexo da Maré, para promover a inclusão financeira digital nas comunidades. Em 2018 a fintech foi eleita Startup de Inclusão Financeira da América Latina, pelo MIT.


· Grão


A Grão nasceu para mudar a relação dos brasileiros com o seu dinheiro, criando o hábito de guardar. A ideia é proporcionar uma forma dos brasileiros começarem a guardar um pouquinho por vez, além de incentivar as pessoas a conhecerem cada vez mais a sua vida financeira com dicas para transformar o dinheiro num grande aliado.


· Firgun


A Firgun é uma fintech social criada para levar oportunidades de microcrédito a empreendedores em situação de vulnerabilidade e minorias sociais. Isto é possível através de uma plataforma de investimentos coletivos, na modalidade P2P Lending. Os investidores apoiam os projetos com valores a partir de R$ 25 e recebem o dinheiro de volta com rentabilidade de até 12% ao ano. Os empreendedores passam por capacitação e em seguida avaliação de perfil financeiro e saúde financeira do negócio.


· Jeitto


O Jeitto oferece empréstimos sem juros e serviços para desbancarizados, com serviços no aplicativo para pagamento de contas de água, luz e gás, além de viabilizar compra online. O valor concedido pelo empréstimo fica armazenado em uma conta digital que pode ser livremente movimentada pelo usuário.


· SuperSim


A SuperSim é uma facilitadora para você conseguir seu crédito pessoal com ofertas personalizadas para cada perfil. A fintech desenha seus produtos flexíveis para todos, com opções com garantia de celular ou empréstimo pessoal, buscando a inclusão financeira.


Quer conhecer mais sobre estas fintechs? Acesse nosso site e confira!

106 visualizações0 comentário