• Fincatch

O que é o Ethereum e como ele funciona? Descubra!




O Ethereum é uma das criptomoedas mais populares e que ocupa o segundo lugar em tamanho, ficando atrás somente do Bitcoin, que se tornou sinônimo de criptomoeda.


As criptomoedas criaram muita controvérsia, Alguns as consideram o próximo sistema de pagamento do mundo e outros a veem apenas como uma bolha especulativa. Independente disso, vamos falar sobre o que é o Ethereum e como ele funciona.


O que é Ethereum?


Criado por 8 cofundadores, o Ethereum fez sua estreia no mercado no ano de 2015. A criptomoeda ou plataforma é chamada Ethereum, enquanto a unidade monetária individual é chamada de ether (2 ether, 17 ether, etc).


O Ethereum opera em uma rede de computadores descentralizada, ou livro-razão distribuído chamado blockchain, que gerencia e rastreia a moeda.


Imagine o blockchain como um recibo de cada transação que já ocorreu na criptomoeda. Através do blockchain, os negociadores de criptomoedas podem trocar dinheiro sem a necessidade de um intermediário, como o banco central.


O Ethereum também permite que os usuários façam transações quase anonimamente, mesmo que a transação fique registrada publicamente no blockchain.


O que o Ethereum faz?


O Ethereum pode alimentar uma série de aplicativos que oferecem uma ampla gama de funções:


Moeda


Com uma carteira de criptomoedas, você pode enviar e receber ether ou pagar por bens e serviços, se a moeda digital for aceita como pagamento.

Algumas plataformas também permitem que você guarde suas moedas em uma carteira digital, para que você possa torná-las menos expostas a hackers, em teoria.


Contratos inteligentes


Esses contratos funcionam como uma espécie de aplicativo que é executado automaticamente quando as condições do contrato são atendidas. Sem a necessidade de permissão.


Aplicativos descentralizados


O Ethereum potencializa aplicativos digitais que permitem aos usuários jogar, investir, enviar dinheiro, rastrear um portfólio de investimentos, seguir as mídias sociais e muito mais.


Tokens não fungíveis


Esses tokens podem ser alimentados pela Ethereum e podem permitir que artistas ou outros vendam arte ou outros itens diretamente aos compradores usando contratos inteligentes.


Finanças descentralizadas


Ao usar o Ethereum, algumas pessoas podem evitar o controle centralizado (do governo) sobre a movimentação de dinheiro ou outros ativos.


Com todas essas utilidades, pode ser mais preciso pensar no Ethereum como um token que alimenta vários aplicativos do que uma criptomoeda que permite que os usuários enviem dinheiro uns aos outros.


Ethereum é um bom investimento?


O Ethereum aumentou significativamente nos últimos anos, então aqueles que compraram e mantiveram anos atrás se saíram bem. Mas, ao invés de focar apenas no preço, é importante entender aonde você está investindo.


Isso pode parecer trivial, mas é a principal diferença entre ações e criptomoedas. Uma ação é uma propriedade fracionária de um negócio, portanto, seu desempenho ao longo do tempo se deve ao sucesso contínuo desse negócio.


Se a empresa aumentar seu lucro, é provável que suas ações acompanhem esse crescimento ao longo do tempo.


Em contraste, o Ethereum e a maioria das outras criptomoedas populares não são apoiadas por nada. A única coisa que segura o preço é o otimismo de outros investidores.


A especulação é a única coisa que eleva o preço do Ethereum e outras criptomoedas.

Por esse motivo, entre outros, investidores mais conservadores, como Warren Buffett e Luiz Barsi não tocam em criptomoedas.


Você deve comprar ou minerar Ethereum?


Se você deseja especular sobre o Ethereum, é simples comprar e negociar a criptomoeda em uma plataforma de negociação. Você pode acessar o mercado de cripto 24 horas por dia e o cálculo do lucro é simples: você lucra quando vende moedas mais caras do que quando comprou.


Mas se você está pensando em minerar Ethereum, precisa pensar como um empresário.

Você terá que investir quantias significativas de dinheiro em plataformas de mineração para poder produzir a criptomoeda e, em seguida, terá que gastar eletricidade cara à medida que a minera.


Você também precisará estudar os números para ver se faz sentido financeiro para você fazer o investimento inicial e manter sua operação funcionando.


Com o Ethereum mudando para um sistema de prova de participação, ele não precisará mais de mineradores.


Em vez disso, os validadores supervisionarão o sistema e validarão as transações de criptografia.


É por isso que um desenvolvedor do Ethereum recomenda não investir em mais nenhum equipamento de mineração.


No final, é mais fácil comprar Ethereum do que minerá-lo e requer menos esforço. Ainda pode haver potencial de lucro na mineração de criptomoedas, mas você terá que avaliar se os custos compensam.


Conclusão


Os especuladores podem investir diretamente em criptomoedas como o Ethereum, mas também podem investir nas empresas que podem lucrar com uma mudança para moedas digitais.


Independente da criptomoeda que você estiver negociando, é vital entender os riscos, incluindo a perda potencial de todo o seu investimento. Se você deseja experimentar essa modalidade arriscada, aconselho que não invista mais do que pode perder.


6 visualizações0 comentário