top of page

Startup que revoluciona as rotinas contábeis recebe investimento estratégico


contabilidade

Quem já teve de lidar com a contabilidade de uma empresa, independentemente do tamanho, sabe quanto a burocracia brasileira é complicada. Regras e mais regras que, se esquecidas, podem gerar uma grande dor de cabeça com a Receita Federal — muitas vezes, ponto determinante para o sucesso ou não de um negócio.


Foi de olho nesse mercado, e entendendo a tecnologia como uma aliada nesse campo, que Guilherme Bittencourt, Diego Budeu e Fernando Rocha lançaram em 2020 a ideia de fundar a Fortmobile, startup que desenvolve tecnologia para gestão contábil de empresas com foco em prestadores de serviços, que muitas vezes não têm capital para contratar escritórios de contabilidade tradicionais.


“Eu já tinha experiência há anos em contabilidade quando decidimos começar um projeto de tecnologia dentro da Fortcon, tradicional empresa de auditoria e contabilidade de Londrina. E o que era para ser uma ramificação acabou se tornando um negócio próprio”, explica Guilherme Bittencourt, que exerce hoje o cargo de CEO na Fortmobile.


O grande objetivo era simplificar e trazer uma série de procedimentos contábeis para uma plataforma que permitisse fácil acesso, interação e entendimento de como realizar a contabilidade de uma empresa, principalmente de prestadores de serviços que atuam de forma individual ou em negócios de menor porte.


Como Bittencourt já prestava assessoria fiscal e contábil a várias incubadoras, o caminho para firmar uma empresa própria já estava pavimentado. Hoje, a Fortmobile realiza todas as obrigações contábeis e legais seguindo o cronograma administrativo que regulariza seu cliente com a Receita Federal, com a estadual e a prefeitura, calculando impostos, gerando as informações para Imposto de Renda, emitindo tanto nota fiscal de forma rápida quanto lembretes de boletos e guias.


“A nossa tecnologia é aliada também a um time de experts, que não apenas desenvolve as soluções, mas oferece suporte na abertura de empresas, regularização de pendências fiscais, como parcelamentos e outros serviços que ajudam o empreendedor a se manter em dia com sua contabilidade e o fisco, diz Bittencourt.


Com sede própria e time de mais de 20 colaboradores, a Fortmobile acabou tendo maior desenvolvimento em alguns nichos. Um destes é o ramo jurídico. Parceira da OAB de alguns estados, a startup é também uma das patrocinadoras do Congresso da Jovem Advocacia da OAB São Paulo, Paraná e Espírito Santo, e o próprio Guilherme Bittencourt tem rodado o Brasil fazendo palestras sobre contabilidade e tecnologia.


Busca por aporte e parcerias


Um dos pontos mais importantes para alavancar os negócios da Fortmobile, não apenas em termos financeiros, mas também de mentoria, foi a possibilidade de encontrar rodadas de investimentos e aporte financeiro e intelectual de experts em escalar negócios.


Uma das empresas que resolveram investir na startup foi a Smart Value Investment (SVI), holding de investimentos localizada em Londrina e que tem como grande diferencial não apenas aportar montantes de dinheiro como colaborar com a expertise de seus sócios ao oferecer mentorias e direcionamento que permitam que o negócio cresça de forma orgânica e saudável, o chamado “Smart Money”.


“A SVI é diferente em termos de mindset business, por contar com vários sócios de áreas diferentes, que agregam expertise e assim, além do aporte financeiro, oferecem ferramentas para que o empresário possa aprimorar pontos específicos de seus negócios em busca de crescimento e expansão”, diz o CEO.


Por exemplo, foi com a mentoria que a startup entendeu que atrair clientes menores, com um tíquete médio menor, porém em maior quantidade, pode ser uma forma de alavancar os negócios. “A mentoria fez com que compreendêssemos melhor o nosso público, a forma de nos comunicar e atrair mais leads e também como nos organizar internamente para seguir de forma fiel o planejamento estratégico, atingindo assim os resultados planejados”, sublinha Guilherme. Hoje, a Fortmobile oferece um pacote de entrada custando R$ 99, que proporciona a pequenos empreendedores ou prestadores de serviço uma assessoria na contabilidade.


O aporte financeiro também é importante. Foi recentemente que a startup conseguiu um investimento da “Smart Value” em rodada na casa de oito dígitos e que permite direcionar a verba para diferentes setores. O objetivo é expandir os canais de Comunicação e Marketing, prospectando mais clientes e investindo no desenvolvimento de tecnologia.


Para 2023, a meta é dobrar a base de clientes e ao mesmo tempo crescer o faturamento em 250%, com a busca de tíquetes maiores. Além disso, já existe um projeto em vias de ser implementado junto à Prefeitura de Londrina, que vai oferecer aos cidadãos um pool de serviços gratuitos em seu portal.


“Esperamos poder atingir todo o Brasil com a nossa tecnologia”, celebra Guilherme Bittencourt.

6 visualizações0 comentário

Comments


Post: Blog2_Post
crowdtech
bottom of page