top of page

Fintechs utilizam inteligência de crédito para transformar o mercado


tech


A inteligência de crédito desempenha um papel crucial no setor financeiro, especialmente quando se trata de identificar e prevenir fraudes. Por meio de avançadas técnicas de análise de dados e modelos preditivos, as fintechs têm sido capazes de analisar padrões e comportamentos para proteger os credores e os consumidores de perdas financeiras e danos à reputação, mitigando os riscos associados à concessão de crédito.


Essa abordagem, que tem sido aplicada com sucesso pelas fintechs, tem impactos positivos tanto para o setor financeiro quanto para a sociedade como um todo, promovendo segurança, inclusão e eficiência nos serviços financeiros.


De acordo com Reinaldo Boesso, especialista financeiro e CEO da TMB Educação, fintech especializada em crédito educacional, é importante entender o que significa inteligência de crédito. “Basicamente, é um conjunto de práticas e tecnologias que envolve a coleta, análise e interpretação de dados para avaliar a capacidade de um indivíduo ou empresa de honrar suas obrigações financeiras. Com essa análise, é possível determinar a probabilidade de um indivíduo pagar suas dívidas e, assim, ajudar a mitigar os riscos associados à concessão de empréstimos”, destaca.


Um dos principais desafios enfrentados pelos credores é a identificação de potenciais fraudadores. Afinal, trata-se de um problema global que causa enormes prejuízos tanto para as instituições financeiras, quanto para os consumidores. “As fintechs têm se destacado nesse campo porque aproveitam a vasta quantidade de dados disponíveis, utilizando algoritmos avançados para analisá-los. Também são verificados a capacidade de pagamento recente, histórico dos financiamentos anteriores, redes sociais e dados públicos”, explica Reinaldo.


Ao analisar esses dados, as fintechs são capazes de identificar padrões de comportamento suspeitos. Por exemplo, se um indivíduo solicita vários empréstimos em diferentes instituições financeiras em um curto período, pode ser um sinal de alerta para uma possível fraude. “Da mesma forma, se uma empresa tem um histórico de pagamentos inconsistentes ou registra um alto número de disputas de cobrança, pode indicar um risco maior de inadimplência”, aponta o CEO da TMB.


As fintechs também utilizam técnicas de machine learning e inteligência artificial para aprimorar seus modelos preditivos. Essas tecnologias são capazes de identificar correlações e tendências que seriam difíceis de detectar manualmente. Com base nesses insights, as empresas podem estabelecer políticas de crédito mais eficientes e tomar decisões com mais informações sobre a concessão de empréstimos.


Para Reinaldo, é importante ressaltar que a inteligência de crédito não beneficia apenas os credores, mas também os consumidores. Isso porque ao identificar e prevenir fraudes, as fintechs garantem que o sistema financeiro seja mais seguro e confiável para todos os envolvidos. “Esse fato também contribui para uma maior inclusão financeira, uma vez que os riscos associados à concessão de crédito são reduzidos, permitindo que um número maior de indivíduos e empresas acessem os serviços”, revela.


Outro ponto que merece destaque, segundo Reinaldo, é o potencial de melhorar a experiência do cliente. Ao analisar os dados de forma rápida e eficiente, essas empresas podem oferecer decisões de crédito mais ágeis e personalizadas. “Isso significa que os consumidores podem obter respostas mais rapidamente sobre suas solicitações de crédito e desfrutar de um processo de empréstimo mais conveniente e transparente”, finaliza.

27 visualizações0 comentário

Comments


Post: Blog2_Post
crowdtech
bottom of page